Conheça o som do quinteto paulista Threesome

Mais uma colaboração do Rodrigo ‘Piolho’ Monteiro para o site do Rock Master.

Originária de Campinas (SP), e formada por Juh Leidl (vocal/guitarra), Fred Leidl (guitarra/piano/vocal), Bruno Manfrinato (guitarra), Bob Rocha (baixo) e Henrique Matos (bateria), o Threesome está na estrada desde 2012 e, depois do álbum de estréia “Get Naked” de 2014, a banda voltou ao mercado no final do ano passado com “Keep on Naked”, EP que é um bom cartão de visitas para o som do quinteto.

Com um nome que faz referência a uma fantasia sexual muito popular, especialmente entre os homens, o Threesome tem como característica um som fortemente calcado no rock dos anos 1960/70, mas que também absorve influências do blues, do jazz e do indie e isso pode ser bem notado nas três faixas que compõem seu novo lançamento. Outra característica da banda são as letras, sempre com uma certa carga de malícia, explorando as relações humanas através da sexualidade.

Uma das razões do Threesome ter investido nesse EP foi o fato da banda ter passado por uma mudança em sua formação e querer ver sua estreia sob nova perspectiva. “Este trabalho veio da necessidade que tínhamos de mudar e melhorar algumas coisas em relação ao álbum de estreia”, explica o baterista Henrique Matos. “’Get Naked’ foi concebido em nosso home studio, então tanto em relação à qualidade de gravação ou quanto à própria composição e arranjos, achamos que poderíamos fazer melhor. Com a saída do [vocalista] Bruno Baptista da banda, a Juh Leidl assumiu as vozes principais de algumas músicas e isso causou uma necessidade natural de mudar as linhas vocais, caso da ‘Every Real Woman’, que agora adquiriu um tom mais provocativo ainda, registrado na nova “ERW”. ‘Why Are You So Angry’ mudou completamente, é outra música, apesar de ter mantido a letra original, mas nem consideramos como regravação, ela se tornou uma das músicas mais fortes e pesadas da banda, agora chamada ‘Sweet Anger’. Já “My Eyes” é totalmente inédita e nela decidimos usar o vocal agressivo e doido do Fred Leidl, e o resultado foi excelente”.

Outra mudança importante em relação ao processo de gravação anterior se deu pelo fato de a banda dessa vez ter procurado um produtor renomado para esse lançamento e trabalhou com Maurício Cajueiro. O produtor já trabalhou com nomes consagrados, dentre os quais estão Steve Vai, Glenn Hughes e Linkin Park. “Sempre quisemos gravar de forma analógica”, continua o baterista. “Alcançamos o resultado esperado e, de fato, ficou diferente em relação a uma gravação digital. A performance ficou muito natural, e a fita casa melhor todas as frequências, tudo soa mais orgânico, parece que todos os instrumentos têm o seu espaço sem conflitar. É um deleite.”

Com uma sonoridade onde peso e melodia estão bem equilibrados, “Keep on Naked” teve lançamento físico e digital e está disponível para streaming . Se você curte um rock and roll mais “cru”, mas, ainda assim, bem trabalhado, vale a pena dar uma conferida no som da banda em uma das plataformas listadas abaixo:
Spotify: https://goo.gl/YC686B

Deezer: https://goo.gl/oB8T16
Amazon: https://goo.gl/uNstNR
iTunes: https://goo.gl/7Facpo
Google Play: https://goo.gl/4iPEUG
Clique aqui e confira também o Lyric-Video de “Sweet Anger”.Ouça a última edição do Programa Rock Master:

Se preferir, clique no banner abaixo e escolha qual edição do Programa Rock Master quer ouvir:

Acompanhe também